sexta-feira, dezembro 23, 2011

DINHEIRO É DINHEIRO. DIREITOS HUMANOS NÃO É


Agora que, benevolamente, uma empresa pública chinesa adquire a parte que o Estado Português detinha na EDP, podemos respirar de alívio. Acredito sinceramente que os chineses gostam mais de nós que os petulantes franceses ou os pretensiosos alemães. Há algo que nos enche de esperança: o Regime chinês, aforrado que está com dinheiro estratosférico, mais dinheiro que o dinheiro somado da Europa Tonta e dos Estados-Undidos Belicista, não teve quaisquer dificuldades em silenciar o escritor chinês Chen Wei, devidamente metido na ordem. O Regime chinês é próspero, muito rico, riquíssimo. E isso, em Portugal e no Mundo, é o supremo argumento legitimador seja do que for. Há uma vingança do chinês. É esta. Que nada o perturbe, guarde-o Deus, pois pode salvar Portugal nos negócios feitos e a fazer por cá. O Partido Socialista deu azo a que, falidos e irrelevantes, não tenhamos moral para exigir moralidade a regimes modelares, como o chinês. Chegamos à inevitabilidade de compreendermos e apoiarmos tacitamente que a China Totalitária MiniComunista e UltraCapitalista condene o escritor chinês Chen Wei a nove anos de prisão pelo crime de «incitamento à subversão do poder do Estado» devido aos vários ensaios que publicou na Internet apelando à liberdade de expressão e reformas no sistema unipartidário da China. Dinheiro, solvabilidade de Portugal ou Direitos Humanos? Resposta fácil. Sejamos condescendentes com o Regime chinês tal como o Partido Comunista se prostra por terra perante o Regime Norte-Coreano. De ambos talvez aprendamos a pôr na linha antipatriotas desbocados como certos socialistas ressabiados, a colocar pedras na engrenagem económica e bem-pagante de Portugal, socialistas sempre de olho naquilo a que chamam o 'pote', que é pote para os boys do PSD e para eles foi algo frugal, olhado de lado, e objecto de abanegação. Os socialistas não engordaram pessoalmente como chinos à conta do comissionismo danoso para o erário, enquanto foram Governo e Corrupção com as costas quentes dadas a forças postas a colaborar com o cancro, da PGR ao diabo que os carregue. Não. Foram honestos como chulos e sérios como carteiristas. Pessoas chatas como Chen Wei, um dos centenas de activistas pró-democracia detidos no início deste ano que apelaram à realização de manifestações na China inspiradas pelos movimentos de revolta da Primavera Árabe, com os quais foram derrubados os regimes autocráticos na Tunísia, Egipto e Líbia, não são bem-vindas em Portugal nem dignas de apoio e comiseração. Como ousa Chen Wei insinuar que a China não é uma democracia? E como ousa Chen Wei acusar o seu julgamento como um teatro, um simulacro, cujo veredicto estava já feito antes mesmo de o processo arrancar no tribunal?! Chen Wei apanha nove anos e tem muita sorte. Se estivesse em Portugal, como muitos pedófilos e ladrões de multibanco arraia miúda, era julgado e sentenciado em menos de um mês. Não andava como Vara, Sócrates e Isaltino, ou a fugir, gozando o pagode à grande e à francesa, troçando da Prostituta Justiciária Portuguesa por meses, anos e até décadas. Abaixo os Chen Wei deste mundo, os bloggers atrevidos a desassossegar regimes corruptos, opressores, falsificados, e abaixo as multidões nas praças!

2 comentários:

Anónimo disse...

Concordo. Não posso contudo deixar de referir que compramos petróleo e gás a países onde reinam ditaduras selváticas; há décadas. Se o nosso critério (o do Ocidente dito "democrático") fosse o dos Direitos Humanos e do Estado de Direito, apenas compraria petróleo e gás à Noruega e ao Reino Unido. Com a Venezuela fora do "clube da decência" (mental e governativa) mercê do chavismo, não haveria combustível senão para lamparinas tremelicantes na Europa. E não há como fugir a isto. É preciso meter nas nossas cabeças que as "Companhias das Indias" e o controlo ocidental das matérias primas terminou com o fim das colónias; e que as ex-colónias têm os seus próprios "métodos de gestão e organização": a porrada no mais fraco.

Ass.: besta Imunda

George Sand disse...

Também concordo consigo.
Aproveito para lhe desejar um feliz Natal