sábado, novembro 21, 2009

ESTA LARICA POR SER AMADO

Às vezes, por impaciência e fúria, dada a percepção aguda de uma realidade vergonhosa e todavia imutável, sai-nos a coisa para a vulgaridade, roça-nos a boca pelo ordinário e respectivos campos lexicais. Não vale a pena. Faz-se e desfaz-se tudo ao longo da vida e se falhamos muitas vezes, podemos recomeçar de todas elas. Dardejamos olhares censórios quando no-los dardejaram primeiramente e também acolhemos e perdoamos com eles para além de como possamos ser vistos e avaliados como gente. Busca de aconchego, templo de afectos. Somos criaturas com larica deles. Uma larica interminável por ser amados, lidos, preferidos.

Sem comentários: