domingo, novembro 29, 2009

LASSITUDE E SINERGIA

As oposições são quem mais ordena e governar Portugal finalmente passa por elas. É como se o PS só "governasse" sob chancela da globaldidade dos partidos, das suas medidas combinadas e, assim, mentir fosse muitíssimo mais difícil de operacionalizar por José Sócrates, enquanto outros players se destacam no meio da salgalhada legislativa habitual. Queixa-se ele de que o adiamento do novo código contributivo constitui um aumento de despesa, que o Parlamento lhe está a aumentar despesas pois o adiamento do novo código contributivo é um travão ao aumento de impostos, «coisa que prometeu que não aconteceria». Portanto, da sinergia de um Parlamento que, cumprindo o seu papel, obriga a falar verdade um Governo habituado a mentir, a dizer X e a fazer Y, resulta um benefício ilimitado para corrigir o melhor que se possa a nossa bancarrota catita e também todas as teimosas perversões que desactivam a economia. Ver-me-ei por aqui vergado a um Governo Socialista que finalmente governa na humildade por interposta Oposição. Um Governo Socialista permeável ao seu contributo porque forçado pela democracia parlamentar. O pluralismo é uma coisa fantástica, quando praticado. Mesmo à força. À lassitude de todo um povo vergado aos factos mais tristes, à sujidade partidária mais reles, responde o Parlamento com novo rasgo, limitando a margem de manobra para a vitimização sonsa do PS. Portugal pode endireitar-se somente com essa violência democrática de uma Oposição legislando-fiscalizando-governando em vez do Governo e cada vez mais para além dele.

1 comentário:

Daniel Santos disse...

Tudo muito bem, mas quem é governo é o PS e existe na oposição o sentimento de que agora quem manda são eles.

Até podem ter a maioria em conjunto, no entanto existe ainda um governo e um PM.