sábado, novembro 21, 2009

PROCURADOR QUE NÃO VASCULHA

O Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, pode dizer que as certidões retiradas das 5 escutas a conversas entre Armando Vara e o Primeiro-Ministro, José Sócrates, são de “irrelevância criminal” que nós não acreditamos. Nós não acreditamos em Pinto Monteiro. Os comunicados que escondem a face que comunica não podem ser levados em consideração e tudo o que sai em comunicado dali sai tarde, sai a ferros e sai para esconder o que já todos perceberam. Sócrates é o senhor feudal do País, seu feudo e escabelo. Pode pintar a manta, pode fazer o diabo a quatro, que tem o respaldo dos media, dos senhores da Justiça, mesmo do PSD, devidamente colocado perante a sua própria história obscura e venal e recentemente disposto a tergiversar na Educação, conforme se viu. Em comunicado, a Procuradoria-Geral da República diz que “não existem elementos probatórios que justifiquem a instauração de procedimento criminal contra o Senhor Primeiro-Ministro ou contra qualquer outro dos indivíduos mencionados nas certidões, pela prática de crime de atentado contra o Estado de Direito", mas nós não acreditamos. Era o que faltava, tocarem no senhor seu patrão. Está tudo feito para apodrecer como de costume. Lute quem saiba e quem possa.

Sem comentários: