quinta-feira, julho 22, 2010

EMANAÇÕES RATAZANAIS

Manuel Alegre segue um manual de campanha difícil de definir: alegra-se com as emanações apodrecidas do Rato, mas não se insurge contra a espessura de mentira que perpassa esse mesmo consulado contra o qual, ao longo de quase cinco anos, esgrimiu dura crítica e aceso mal-estar e que agora se abstém de caracterizar como se, em troca de um apoio pífio, tudo decorresse no melhor dos mundos possíveis. O Regime também é essa podridão venal alegrina e não poderia ser pior. Contente com quê, no meio de tanta abjecção política? 

Sem comentários: