domingo, julho 11, 2010

A MERDAFÓNICA

«O mercado, o mercado»... Tretas! O dinheiro que parece não ser espanhol nem português, mas só dinheiro, tem um desígnio político em se tratando de esse tapete de Arraiolos que é a Espanha. A Espanha e os espanhóis são sempre a mesma coisa: imperialistas na territorialidade, exclusivistas nos negócios, expansionistas no departamento financeiro. Os factos estão aí e nem o socratismo mais ou menos espesso de Nicolau Santos me impede de lhe dar razão: «Em todo o processo, quem se portou de uma forma altamente reprovável foi a Telefónica. Avançou para a compra da Vivo sem avisar o seu parceiro de há treze anos. Rejeitada, passou às ameaças: que congelava os dividendos da Vivo, que lançava uma OPA sobre a PT. Nunca aceitou conversar com os três principais dirigentes da operadora portuguesa, apesar de ter sido anunciada publicamente a sua disponibilidade. Depois, nervosa e sem nenhum pudor, vende a sua posição na PT a três investidores pintados para poderem votar na AG. Como as autoridades impedem o truque, desenvolve conversas paralelas com alguns acionistas nacionais de referência no dia anterior à Assembleia Geral para garantir que votarão a favor da proposta se aumentar o preço. E em todo este processo, nunca a Telefónica pediu para falar com representantes do Governo português. Há alguma dúvida de quem se portou de uma forma pesporrenta e arrogante? E sobre este comportamento não há nenhuma crítica das virgens ofendidas do mercado?» Nicolau Santos

Sem comentários: