sábado, julho 31, 2010

VIA EXECRÁVEL

Enfim, a imprensa está repleta de sinais que indicam estar a questão Free Porc muito longe de ver sobre si uma pedra tumular definitiva. Não há ali uma Via Sacra, mas uma via execrável longe do fim. Há demasiadas pontas soltas repletas de suspeição e indefinido esclarecimento. Por exemplo, o primo Hugo Monteiro admitiu aos investigadores que "o encontro do pai Júlio com o primo Sócrates teve influência no licenciamento" e informou que ele próprio se deslocou a casa de José Sócrates "e lhe disse que ia invocar o seu nome, a que [Sócrates] terá acedido". Além das tais 25 perguntas, Paes Faria e Vítor Magalhães queriam ter "explicações" de Sócrates para os testemunhos do tio e do primo no processo. Mas, como sintomaticamente disse ontem, a directora do DCIAP não considerou que a audição ao primeiro-ministro pudesse mudar fosse o que fosse. Começa a perceber-se cada vez melhor porquê.

Sem comentários: