quarta-feira, julho 22, 2009

LADO COMPLEX E TUBARÃO DO PS

«Dizem que o PS está atrapalhado com a escolha de cabeças de lista. Não vejo porquê. Jaime Gama, especialista em águas profundas, poderia ir para o resto do mundo. Lisboa, contar com Diogo Freitas do Amaral. Em Coimbra, José Miguel Júdice. Nos Açores, Daniel Proença de Carvalho. No Porto, Pinto da Costa. Em Setúbal, Eduarda Maio. Em Braga, Lopes da Mota. Em Aveiro, Fernanda Câncio. Na Madeira, Emídio Rangel... [...] Qualquer correspondência da anterior declaração com um, ou vários, macro ou micro-autoritarismos não passa de mera coincidência degenerativa, face à manutenção dos sub-sistemas de medo. Não pensem já no governo PS, ou nos micro-governos do PSD que por aí pululam. E os bufos que fizerem "copy & paste" desta coisa, para a levarem aos ditos, que lhes paguem o serviço. Quem reprime, apenas mostra medo do reprimido. [...] Confesso meu temperamento de radical que se apaixona por causas e não entende a racionalidade como um afrouxar das paixões. Como se os cinzentos seres que sempre foram os números dois dos pelotões de fuzilamento pudessem, alguma vez, ter o prazer da criação. Porque não há direita, esquerda, extremos ou meio-termo. Há vencedores e vencidos e quem vence, reparte o que ganhou à custa do lombo de quem perdeu.» José Adelino Maltez, Sobre o Tempo que Passa

1 comentário:

manuel gouveia disse...

O Freitas mais do que lealdades é um homem de afectos...