sexta-feira, julho 31, 2009

UM DEUS PERORANDO PELA BRISA DA TARDE

Como aturar sobre-humanamente uma Missa do Partido Socratesco com a duração de quatro horas, sem aspersão com o hissope, sem cautelas, sem caução, sem precaução, só com comunhão civilizada (e cinzelada a cínico, contida) que uns têm e outros não?! Impossible to tell. As políticas mais selváticas traduzidas numa língua sorridente e simpática, até moderada, tipo tu-cá-tu-lá, nem parecem tão devastadoras, torturantes nem esfomeantes para quem foi devastado, torturado e esfomeado a fim de que, por fim e acima de tudo, esse sorriso resplandecesse forte, decidido, de cara lavada, com obra feita, índices certos e certificados internacionalmente. O divino messias devolvido ao seu Povo, desfilando amaneirado de Alcácer-Quibir. O corpo e a mente habituam-se à polé e ao jugo se o jugo e a polé forem vendidos com derramadas e gradativas doçuras. E esse deus perorando pela brisa da tarde na sua, muito sua e inédita, BlogConf despiu-se da superior indiferença do homem de Estado para se declarar extraordinário, supremo, reformador, patriótico, democrático, homem suficiente para olhar na face uma amostra os agentes da maledicência e do botabaixismo blogosférico. Ai dos que o não amem! Ai dos seus detractores! Esse deus que perora, um democrata!, é implacável! Menos durante a humildade da campanha e antes que obtenha acontecer-lhe ser Poder, naturalmente e de novo, porque é jovem, tem cinquenta e um anos e avôcantigasmente tem a dizer: «No meu tempo, lembro-me bem»... Como aturar sobre-humanamente mais uma Missa do Partido Socratesco?!

3 comentários:

O Fim Está Próximo disse...

"Não sei se Sócrates é fascista. Não me parece, mas, sinceramente, não sei. De qualquer modo, o importante não está aí. O que ele não suporta é a independência dos outros, das pessoas, das organizações, das empresas ou das instituições. Não tolera ser contrariado, nem admite que se pense de modo diferente daquele que organizou com as suas poderosas agências de intoxicação a que chama de comunicação. No seu ideal de vida, todos seriam submetidos ao Regime Disciplinar da Função Pública, revisto e reforçado pelo seu Governo. O primeiro-ministro José Sócrates é a mais séria ameaça contra a liberdade, contra a autonomia das iniciativas privadas e contra a independência pessoal que Portugal conheceu nas últimas três décadas. Temos de reconhecer: tão inquietante quanto esta tendência insaciável para o despotismo e a concentração de poder é a falta de reacção dos cidadãos. A passividade de tanta gente. Será anestesia? Resignação? Acordo? Só se for medo…"

António Barreto (militante do PS), artigo de opinião no Público, Janeiro de 2008

Daniel Santos disse...

Eu não consegui ver aquilo. Apenas um ou outro.

Querido Alexandrino disse...

Sócrates com o convite ao vinte bloggers deu-lhe com uma mão um afago à vaidade e à visibilidade e com a outra colocou-os ao serviço da sua imagem. Matou dois coelhos de uma cajadada.