quarta-feira, julho 29, 2009

REBUÇADOS, DROPS E BOMBONS


A imbecilidade tem destas coisas: alicia, promete, inventa. As idiotias que jorram da pena de alto quadro remunerado da GALP, de momento empenhado redactor do programa eleitoral do PS, António Vitorino, não contemplam com a mais pequena ideia a realidade vivida pelos que mais sofrem e mais penalizados são na insultuosamente assimétrica sociedade portuguesa. Nós, os jovens pais, vemo-nos e desejamo-nos para matar a fome e ter para o básico. É também graças ao parco abono de família, o dinheirito que cai na conta por causa do nascimento das bebés e cujo escalão parece tão arbitrário, que se mete gasolina, se compra leite em pó e se mata um pouco a fome em casa. Esses duzentos euros seriam preciosos, infelizmente, para outras finalidades imediatas, o Redactor Iluminado e Assediante Vitorino devia sabê-lo, se não vivesse na estratosfera. Quando o Estado dá ou se propõe dar, mas pensa o nosso dinheiro, além de despejar rebuçados, drops e bombons ao eleitorado, percebemos como para os seus actores políticos há por aqui um povo na menor idade. E o inexcedível pessoal político do PS pensa assediar, leiloar e arrematar esse eleitorado tresmalhado do voto certo nesse partido ao melhor lance. Não há vergonha! Nem sequer respeitam a nossa extensa e gravíssima fome gerada e não criada por políticas estultas, ciclópicas apenas para a nata do empresariado e uma caterva de banqueiros a pedir prisão, dos megarreformados do regime, de esse pessoalzinho menor avençado, hermafródita, digladiando-se em blogues coxos e manetas separados à nascença: «O programa eleitorial que hoje o Partido Socialista apresenta propõe a criação de um subsídio de 200 euros para cada criança nascida em Portugal, que seriam depositados numa conta a prazo e que só poderiam ser mexidos quando a criança completasse os 18 anos.»

3 comentários:

Quint disse...

200,00€ para fins mais imediatos, dizes tu?
Tens de mudar o título da posta, não vá a malta pensar que os querias estourar em drops, caramelos e gomas.
Logo tu que agora não podes ...

joshua disse...

Tarantino, meu caro cineasta cinestésico das ideias e do ginásio onde deixaste de ser texugo, bem sabes que desde há quatro anos e meio tenho a requintada experiência de andar completamente teso e na mais grotesca das carências: privado de trabalho que se veja, sem reformas antecipadas acumuladas, sem subvenções ou subsídios que me matem a fome, às filhas e à mulher.

Só o tecto e o pão dos meus magnânimos pais. Como eu, um, dois, três milhões de portugueses "assi mal vom paçando". E isto não tem piada.

Por isso, miles ingloriosus sum no Teatro da Bloga.

Terminator disse...

Not a "famous or boastful soldier".