sexta-feira, julho 24, 2009

POLÍTICA ASNA, DEMODESERTIFICAÇÃO

Que fará Portugal depois de erodir completamente os factores de atractividade do trabalho com um Código Asno que abre a caixa de Pandora à hemorrágica emigração em massa? Com um Código Asno por cima de salários já de si uma merda pois fazem sorrir mesmo os escassos imigrantes provenientes do Bangladesh logo a virar agulhas para a Islândia após umas horas por cá? Passará a ter de recontratar e reempregar os seus idosos, certamente. Dada a fuga do capital humano jovem qualificado, mas nada valorizado nem respeitado nem acarinhado por cá. Assim teremos idosos nas caixas do Pingo Doce, nas Caixas do Continente, a regressar aos cafés como empregados e aos hospitais como médicos porque o pessoal jovem não perderá a oportunidade de viver onde se paga bem e se estrutura uma vida não por favor, mas porque tudo isso reverte em benefício da totalidade de uma sociedade. Por cá, a EDP, a GALP e outros megapólios que brutalizam quem não tem escapatória no mercado interno vão certamente perder clientes, perder dinheiro, "baixar" os lucros com as multidões que se evadem de cá. A ganância sistémica portuguesa reverterá este Jardim à Beira Mar num Desolador Deserto Humano não tarda nada: «Na Europa, até há muito pouco tempo, esta era uma "especificidade" portuguesa, adianta. Ou seja, Portugal era um "caso único" nesta dupla composição dos fluxos de saída.Como não existem registos exactos do fluxo de saídas, os dados do INE são apenas estimativas. O que quer dizer que a realidade poderá ser pior.»

Sem comentários: