quarta-feira, outubro 19, 2011

CAVACO TÚRGIDO DE PILATOS

Estou mal disposto com Cavaco. Este homem dá-me azia. Verberei ao longo dos últimos seis anos o seu calculismo extremado. Nunca hostilizou quem governava segundo uma perspectiva de assalto ao erário e do despesismo propagandesco de perpetuação do Poder através da manipulação massiva e esmagadora dos media e de todas as formas de spin faccioso e mentiroso. E agora permite-se discordar das medidas do Governo, não interessa se retórica Pilatos se apenas antena a que deita a mão. O princípio da equidade fiscal começa desde logo por ser rompido a partir do momento em que a corrupção compensa e se tornou na semântica transversal do Estado Português. Logo aí nunca tivemos equidade nem fiscal nem de tipo nenhum. Não imagino que Cavaco, há muito o derradeiro fantasma arqueológico do Regime, exerça o direito de veto. Mas o que fica é somente isto: não se pode confiar nele. Ou peca por omissão ou se transforma em mera figura ornamental da nossa falência: igual a Carvalho da Silva e a sua republicazita do protesto tardio, cristalizado no seu posto; igual a Proença, fixado no seu assento incapaz de mudar de tom de voz ou de dentes. Cavaco suchs, tanto mais que fez hoje as delícias dos grande vergastados socratistas, gente que tem apanhado com valente bordoada e já não sabe por onde escapar à raiva popular que alastra entredentes. 

1 comentário:

floribundus disse...

há muito que diz o mesmo e ninguém o ouve.
por falta de tecnologia e vontade de trabalhar nunca sairemos da miséria a que se chegou