quarta-feira, outubro 26, 2011

CENAS TRISTES DO OBESO BASÍLIO

Esta tarde, já em casa, refeito de enfrentar a chuva, o vento e o frio sob o capot do meu corpo inerme, reparei em Basílio Horta no Parlamento, que a TV expunha a meio-corpo, gesticulando. Acho simbólico e absolutamente sintomático que esse Basílio esteja obeso como um hamster submetido a uma vasectomia. Basílio possui uma silhueta bojuda e é bem a metáfora de tudo o que reluziu tão fugazmente nos últimos seis anos. Não é a sua gordura que está em causa. É o simbolismo obeso da sua voz que hoje vocifera sem vergonha contra um Governo que não nos conduziu até aqui. E não pude refrear-me de sentir nojo. Passem-nos o balde.

Sem comentários: