sábado, outubro 29, 2011

LIMA E A TAQUIFILAXIA JUSTICIÁRIA

Dado o esgotamento da Justiça portuguesa, talvez seja interessante o efeito terapêutico de uma cooperação o mais perfeita e estreita possível com a brasileira. Consequências para Lima representariam finalmente o rompimento com a repetição das doses de impunidade, imunidade, protecção dos fortes e privilegiados, o que poderá dar algum ânimo ao rectângulo. O sistema justiciário português carece de imunização através da inoculação de uma pequena dose de probabilidade e consequência, como os factos arrolados contra Duarte Lima parecem indiciar. A larga massa ingente nacional de privilegiados impunes poderá ter aqui um vislumbre de ruptura com o regime hipergarantístico que os beneficia e protege exclusivamente. Entretanto, dado o perfil internacional do crime cuja acusação já foi produzida, cresce uma sensação de imbróglio justiciário Portugal-Brasil. Alguma surpresa? [A propósito desta matéria, os blogues do socialismo-socratismo exibem fotos envenenantes mostrando recorrentemente Lima com Cavaco. A foto supra é só para desenfastiar da intencionalidade sorna subjacente.]

2 comentários:

Anónimo disse...

Tendenciosa a foto, não?
Não seria mais natural que Duarte Lima estivesse acompanhado por alguém do PSD?
Eu sei, está com Jorge Coelho porque o Joaquim não descobriu nenhuma com Sócrates, com Cavaco há muitas.

Anónimo disse...

Para todos os gostos, estou certo de que também existem fotos de Lima com velhinhas desdentadas e com crianças surdas-mudas. Posto isto, afirmo que este é um excelente 'post', meu caro Joaquim. E que a sua sugestão poderia levar a uma produtiva relação com o Ministério Público brasileiro (fedral? estadual? não interessa...): exportar para o Brasil patifes e suspeitos para os julgar a tempo e horas e para que, em caso de condenação, haver castigo imediato, autêntico e justo. Comece-se então por um recente caso - bem simples - que a 'justiça' portuguesa mantém sossegadinho e bem paradinho (a recolha de prova tem-se revelado dificílima!): Ricardo Rodrigues e o mistério dos gravadores desaparecidos.

Ass.: Besta Imunda