domingo, agosto 23, 2009

ÂNUS SENSÍVEL NA ILHA MALAGUETA

Não é necessário muito esforço para compreender qual será a sensação política socratesiana de circular e fazer chinfrim na Ilha de Jardim. Com toda a sua exuberância política hiperbólica, semi-tropical e carnavalesca, as palavras de Jardim demolem Lisboa. A Ilha está revestida, graças a Jardim, da Malagueta insubmissa e directa dos antigos Momos Cortesãos, na sua liberdade contundente cara a cara com poderosos. Democracia é isto e é também a ironia subjacente à "festa da liberdade" logo num partido impositivo e passento a corruptos e a ajustes directos de valores mirabolantes, logo numa Ilha que não troca o seu líder carismático de décadas por Flor de Estufa nenhuma: «O secretário-geral do PS, José Sócrates, em final de mandato, arranjou este ano espaço na agenda para estar pela primeira vez na "Festa da Liberdade" dos socialistas madeirenses, que se realiza hoje, na Fonte do Bispo.»

Sem comentários: