quarta-feira, agosto 19, 2009

ESCAVACANDO O GOVERNO

Toda a gente que se agrega com unhas e dentes em torno da luxuosa causa socratinesca [uns na esperança de continuar a pagar o Duplex de Luxo que a esperança de mais tempo de poder acalenta, outros por estar em causa um ganha-pão fabulosamente generoso] não sabe o que pensar do episódio das escutas, embora já lhe chamem watergate. Os silêncios corrosivos de MFL e de Cavaco têm tido o efeito extraordinário de deixarem o Ainda-PM a falar sozinho, sublinhando-lhe o ar pícaro e a inconsistência sobredespesista e sobre-endividatória dos seus anos absolutistas de esbulho aos pequenos. Afinal, enganar os Portugueses é facílimo. Falar de escutas PS-governamentais à presidência e à acessoria presidencial, num arco temporal alargado, só veicula e cola insegurança e fraqueza à paquidérmica máquina governamental. Sem desmentidos presidenciais e com a minimização embaraçada de Sócrates, com poucos recursos Cavaco escavaca Governo: «O crescente mal-estar entre Belém e São Bento começou a dar lugar à desconfiança de que o Governo de Sócrates estaria a vigiar de forma irregular a Casa Civil do Presidente há cerca de um ano e meio.»

2 comentários:

João António disse...

Quer dizer : um silêncio na hora certa, vale mais que mil palavras!

JotaB disse...

Nasci no tempo da "outra senhora", tempo em que nos sabiamos permanentemente escutados. Os métodos então utilizados farão certamente rir os esbirros actuais.
Oa trastes que nos governam dispõem de métodos muito mais sofisticados e estarão dispostos a utilizar todos os meios para se manterem no poder.
Mas não serei eu que irei em defesa do aníbal de Boliqueime. Este fulano é um dos grandes co-responsáveis pela catástrofe que nos atingiu.
Antes apoiarei medidas que responsabilisem todos aqueles que tenham colaborado na desgovernação deste País, habitado por Gente infeliz e descrente no futuro.