quarta-feira, agosto 26, 2009

ENGRAÇADO COITADINHISMO SIMPLEX

Não consigo compreender esta conversa do Eduardo Graça sobre "pressões" e "a direita". Que Direita? Só conheço uma UltraDireita sem ideologia senão o próprio Bolso e o próprio Benefício, com olhos maiores que a barriga. Uma que ao mesmo tempo que estupra psicologicamente professores a pensar nos tostões contidos, lesa o Estado em Milhões Derrapados, Nova Alcântara; uma que sustém legislar sobre casamentos gay, protelando a questão, apenas por mero tacticismo político-eleitoral e para não melindrar o Portugal Profundo que gosta de fado e cada coisa no seu lugar. Chantageados para um Aborto Livre, por que nos não chantagearia com os factos consumados habituais, assim lhe dêem a repetente oportunidade?! Quanto a pressões, ainda está para nascer um Primeiro-Ministro que tenha feito mais pressões sobre tudo o que mexe em Portugal e lhe desagrade. Chamam-lhe Zé Neuras. Há uma mole de portugueses transidos, apáticos, postos fora de combate, por quem? Pelo mecanismo de pressões que Sócrates exerce pessoalmente, quando ninguém está a ver, ou delega a um vasto conjunto de esbirros parasitando Organismos-Sinecura, a própria Administração Pública, e com toda a lata para sanear subtilmente opositores e com lata para outro trabalho de sapa. Não faltam exemplos. Malhando em ferro frio, puxando a brasa ao coitadinho heróico sob fogo, Eduardo Graça de facto não tem o dom da persuação nem amplitude de fogo. Isto da bloga só funciona com muito sofrimento averbado e muito alombar com injustiças. Fretes pagos incumbidos a barrigudos dá em demonstrações flácidas e num trabalho inglório sem qualquer força moral interior: «Será que a direita em Portugal, nos últimos anos, perdeu influência nos centros de decisão, da finança à economia, da polis à inovação social, tecnológica…? Será isso que lhe dói? O PSD mostra-se incapaz de reinventar um ideário social-democrata e, longe de convencer a sua base natural de apoio, acolhe-se na busca de um consenso social negativo face ao programa político reformista do PS. Apresentará, certamente, propostas, que convém não subestimar, mas o essencial do seu programa pertence à esfera da “não inscrição”, ou seja, às insinuações do “governo sob suspeita”.» Eduardo Graça, SIMplex

Sem comentários: