quarta-feira, agosto 26, 2009

SOB O MANTO NEGRO DA NULIDADE

«O Governo de José Sócrates está gasto, é incompetente, estagnou a Justiça, dominou os bancos através do Processo Operação Furacão, e não conduziu a nenhuma condenação seja no processo Casa Pia, seja nos processos das fraudes bancárias, desde o BPN, ao Portucale, à Operação Furacão, à Cova da Beira, ao Freeport. Um manto de demagogia, de incompetência, de baixa política cobre Portugal. Por tudo isto ser inteligente é não votar PS. Ser inteligente é votar contra o PS de José Sócrates, cheio de ex-comunistas e dominado pelos sociólogos do ISCTE e pelo Lobby Espanhol, que desenvolveu uma política do bota-abaixo da nossa economia, dos nossos valores culturais. Aliás Sócrates teve a pretensão de ser "moderno" dizendo que não gosta de fado! Só falta dizer que não gosta de D. Afonso Henriques. Que não gosta de Nuno Álvares Pereira, que não gosta da Marisa, do Benfica, do Sporting, do Porto, que o que gosta é do Real Madrid. Ventos sopram a favor de Espanha, quando na televisão quando falam em castelhano já nem há tradução para português! Por isso em 27 de Setembro os portugueses têm uma oportunidade enorme de derrotar este PS Socratino / neo-comunista / maçónico / espanholado / ultradireitista. Derrotar o PS é renovar Portugal.» José Maria Martins

2 comentários:

www.angeloochoa.net disse...

Joaquim lídimo amigo meu e de Portugal te pasto quanto postei em
http://portugaldospequeninos.blogspot.com/2009/08/momento-flatulencia-politica-obvia.html
sobre quejando pertinente tema -- acto eleitoral de 27 de próximo Setembro:

O caso é que, ante o estado de coisas de compadrios a que «isto» chegou, alguém que solte voz ponderada de experiência e seriedade cai logo por passar por persona non grata, o que, para nós, com os números de economia e desemprego de ruína e nulidade de «crescimento» passaria por trágico. Estou em crer que começo de pontapé que o zé1º levou no último acto eleitoral seja agora bem mais furibundo -- para o erradicarmos -- ou então de nada valerá gritarmos aqui del rei ou chamem a polícia que «a fraude» é consumado protelada e fatal que nem destino. Com Ferreira Leite sonharíamos acordadas em fazer ou re-fazer da tristura alegria! Provas desse meu anseio desejo certeza PASSARA A HAVER, COM ELA, ESPÍRITO DE SERVIÇO!

Com um abraço de louca esperança malgrè tout!

(Ângelo Ochôa)

daniel tecelao disse...

O simulacro de confusão entre o poder politico e judicial não só é patético,como configura uma deliberada tentativa de baralhar.
O pretendido é embrulhar tudo em papel da desonestidade intelectual,para depois atar com o laço Sócrates.
É um exercicio pouco inteligente,fede a golpe baixo e suez.
Não gostar de fado é um crime de lesa pátria,há que criminalizar tão espúrio acto.
E toca a banda reaccionária!!!