sexta-feira, agosto 21, 2009

CONSPIRAÇÃO CONTRA PORTUGAL

As coisas que se vão descobrindo da matéria freeportiana permitem o roforço da sensação conspirativa geral contra Portugal. De esta vez as inferências sobre Carlos Guerra são altamente denunciadoras da rede de poder e dependências envolvidas e porque é imperativo salvar o coiro do não-arguido mediante o tudo ou nada da reeleição. É preciso dizer "não": «Uma investigação judicial ao caso Freeport descobriu depósitos de 200 mil euros, em 2002, nas contas bancárias de Carlos Guerra, ex-presidente do Instituto de Conservação da Natureza, então dependente do ministro do Ambiente, José Sócrates. A notícia é avançada hoje pelo semanário “Sol”.»

Sem comentários: