sábado, setembro 24, 2011

O MENU DE PRESIDENCIÁVEIS

Dentro do menu de presidenciáveis, a minha preferência vai toda para António Barreto, sem qualquer espécie de dúvida. Na Presidência, um discurso ético. Na Presidência, um coração decentemente arrumado e um puro espírito de sabedoria, onde o essencial conte e se pratique. As suas ideias fazem a apologia da moralização do Estado, apelam ao bom exemplo, instigam ao desprendimento. Prefiro um apego a Portugal radicado na memória e bem fundamentado que aqueloutro assente num certo paternalismo oco e ineficaz. Depois da frescura representada por Assunção Esteves, após tantas e tão gritantes desilusões, faça-se luz, no momento certo.

1 comentário:

lidiasantos almeida sousa disse...

O Marcelo lança a lebre para ver se pega. Quanto ao misantropo do Barreto ser Presidente da Republica, talvez a célebre frase do Picareta falante esteja mais certa. É mais fácil Jesus descer a terra. E depois com a pernóstica mulher MFM como 1ª Dama as gaffes seriam tantas que o ridiculo teria de pagar imposto. Ao que nós chegamos, depois dum querido lider a mandar mensagens pelo face book, a comer queijo com a boca aberta e o cuspo a sair, olhando bovinamente para "la vache qui ri" e a trocar opiniões encomendadas sobre as anonas. só nos faltava um bicho de bibliotecas a fazer estudos PRODATA que ninguém lê. Porque não eliminam este cargo carissimo e sem nenhuma utilidade? Já ouviram este Senhor dizer que vai reduzir o pessoal alojado em Belém a fazer não se sabe o quê? Para fazer conspirações chegam meia duzia, Haja pachorra para aturar este comentarista a dizer dislates, com ar de grande Senhor. Se para ganhar a Câmara de Lisboa teve de mergulhar no Tejo poluído, para ganhar a Presidência terá de saltar de pára-quedas o que é fácil para paraquedistas. Desculpe Joshua mas esta é a minha livre opinião. Se não publicar não há problemas. Obrigada