segunda-feira, setembro 26, 2011

VASCULHEMOS OS NOSSOS NAUFRÁGIOS

E nesse imenso mare nostrum não haverá nada assim que valha a pena resgatar? Quase de certeza haverá, mas nem para o que daria dinheiro há dinheiro. 

2 comentários:

Anónimo disse...

Julguei que era o Bolama.

Miguel disse...

Joshua, não há nenhum tão valioso (em termos monetários, claro) em Mare Nostrum (que eu saiba), mas há um navio português (séc. XVI) "Flor do Mar" lá pelos mares da Indonésia. A carga pensa-se que poderá valer entre 4 a 65 mil milhões de euros (o mais valioso de todos os navios). Mesmo estando em águas estrangeiras é nosso. Ninguém sabe exactamente por onde para. Existe tanta coisa por esse mundo fora que "nós" fizemos. Da Terra Nova ao estreito de Magalhães. De Antuérpia ao Cabo da Boa Esperança. Da ilha de Moçambique, a Ormuz, Goa e Malaca. De Timor a Macau e ao Japão. Do Tibete à foz do Nilo e à Etiópia. Ou até na Indonésia, com o estranhíssimo "Taman Sari", um palácio do séc. XVIII concebido por um arquitecto português para um sultão local. Até na Austrália fomos os primeiros europeus. Somos muito maus a vender o nosso património. Tivessem os espanhóis tanto e não se calavam.