sábado, março 27, 2010

DA COLÉRICA SIALAGOGIA

As audições na Comissão de Ética subordinadas ao tema da liberdade de expressão em Portugal tinham a evidente intenção de denunciar os abusos grosseiros do escabroso Governo devorista-socialista. O tiro não lhes saiu pela culatra. A pólvora das comissões é que era seca. Tudo obedece à mesma lógica de, na Hora H, prevalecer o inócuo e as águas mortas: recorde-se a bosta vergonhosamente inútil resultante da excelente Comissão de Inquérito ao Sistema Bancário: Constâncio ilibado. O relatório final, desonestíssimo, não deu em nada. Do mesmo modo, o resultado das audições da Comissão de Ética não foi a demonstração do absurdo da tese do espartilho à liberdade de expressão e de informação que estaria a ser concretizado pelo poder devorista-tachista-socialista: foi a sua confirmação plena. Os teóricos da asfixia democrática provaram que os práticos da teoria da asfixia democrática podem transcender de longe, em canalhice e subtileza, o velho papão dos comunistas que comem crianças ao pequeno-almoço. Qualquer cabrão, ainda por cima político sem escrúpulos, pode urdir mordaças e apagar pegadas. Efectivamente, a chantagem existe, os pseudo-socialistas calam jornalistas ao pequeno-almoço, ao lanche e ao jantar. Não pensam aliás noutra coisa senão domesticar de propaganda as multidões ignaras, cevar-se do erário e foder com Portugal, coisa que está bem à vista na colérica sialagogia controleira e ávida do Primadonna.

1 comentário:

Floribundus disse...

neste pântano apodrece tudo
a cloaca cheira mal que tresanda
sobretudo no "solar dos barrigas"
«eles comem tudo»