quinta-feira, março 04, 2010

MONÓLOGO DO LEANDRO

Só. Amarelamente só. Violentadamente só. Talvez, se eu resvalar por essa Tua frigidez aquosa sem sádicos, sem extorsores, um País dormente tenha um assomo de vergonha e uma culpa pungente se plante também, pelo resto das suas pobres vidas, naqueles pobres filhos da puta.

3 comentários:

Dylan disse...

Acho que nunca estivemos tão de acordo...

Nuno Castelo-Branco disse...

Filhos da puta é pouco. Estendo o qualificativo às "comissões de pais" que ontem acorreram a entrevistas em todos os canais de tv, minimizando o escândalo, o assassínio lento e inexorável do Leandro. Bestas! Bestas os pais, bestas as comissões directivas das escolas, besta o ministério, besta o regime que chegou a isto. Só com pulso de ferro e expulsões compulsivas do ensino oficial é que chegaremos a uma normalidade que já conhecemos.

W. C. Fields disse...

Agora, a mãe da menina de 15 anos que com o namorado torturava o pobre Leandro, pede para não condenarem a filha sem provas. Não é preciso. Vai ficar impune, como é costume.

É triste como a noite. Concordo com os anteriores.