domingo, março 07, 2010

INSEMINAR ALHURES

O trabalho mecanizado exclui mão-de-obra. Na maioria dos casos, o lucro nunca foi tão absoluto e antissocial. Despedimento ou não recrutamento são coisas cada vez mais vulgares e banais. Não vivemos numa sociedade propriamente capitalista ou sequer sob um qualquer subtipo de neoliberalismo. Pertencemos ou aspiramos pertencer a uma gigantesca coutada estatal megassubsidiarizante. Vivemos sob um Estado que promove o conformismo e as lógicas do poder vigente desde há centenas de anos: quem lá está, não quer sair nem partilhar. Quem tem excedentariamente, quer ter mais e não quer perder pitada nem migalha. O Povo é uma coisa come-&-calada que nem sequer escolheu o Regime que tão profundamente o atraiçoa: um Regime de almeidas santos, de lellos, varas, soares, e quejanda quinquilharia parda, habitual. Venderam-lho. A única salvação da grande avareza nacional sempre foi emigrar, povoar outras paragens, inseminar alhures, morrer cedo, arranjar maneira cada qual de salvar-se do perigo que Portugal representa à sanidade individual. O Face Oculta desoculta-o bem. 

1 comentário:

João António disse...

O regime implantado em Portugal é que pactua com todo esse compadrio.
Abraço bfs