segunda-feira, março 15, 2010

DE PAU E NÃO RETRÁCTIL

Esta campanha de permanente denegrimento do Primadonna tem de acabar. Os factos comprometem-no? Que se lixem os factos. Aparecem novos indícios após todas as cerimónias de desvalorização mediatizadas por Cândida Almeida e Pinto Monteiro? Paciência. A caravana ladra, os cães passam. Por mais detractores que sejamos de esse consulado daninho, atreito a distorções de toda a espécie, a problemas de carácter, e a desonestas políticas penalizadoras dos pequenos e dos ex-classe média, favorecedoras de negócios exclusivos só para amigos, à instrumentalização do Estado para servir obscenos interesses demasiado pessoais, a experiência diz-nos que tudo isto, este martírio de suspeições nunca esclarecidas e sempre agravadas a conta-gotas, percutidas na psique de um povo que sabe pouco e vota alarve, conduzirá paradoxalmente à apoteose do visado. Valentim e Isaltino foram afirmativamente plebiscitados e o Primadonna sabe bem que o seria de igual modo, pois a compaixão pelos abusadores, espécie de variante do síndrome de Estocolmo, a piedade pelos algozes políticos é um dado adquirido em Portugal, após Pombal e Salazar. Agora a sério: ao contrário de Pinocchio, cujo nariz de pau era retráctil e estava na sua mão domar, o nariz factual do Primadonna está condenado à perpétua rigidez alongada. É irresistível. Mil quilómetros de nariz. Todo um TGV de pau. Se aquele homem tivesse um bom fundo, um passado inatacável, um sentido de serviço público à prova de quaisquer suspeitas de avidez grupal, sôfrego saque do Estado, tudo teria sido diferente, para ele e para nós. O amor fraterno e o altruísmo em altas funções de Estado, porém, não têm lugar em Portugal. Só o saque, a trapaça e a fraude. A Maçã Podre fez o que pôde no grande cesto português. A fita está a chegar ao fim. Ele continua bem vestido, no seu bunker, negando e renegando. Nós já estamos ao relento e nus. Todos a pique, excepto BCP e BES.

4 comentários:

Anónimo disse...

Esta gente, só desconfia da palha que lhes dão,de resto, acreditam em tudo que lhes vendem....

Anónimo disse...

Mencionas aqui as palvaras chave para o desfecho do socratismo. BES e BCP. Resta saber qual lhe vai dar o emprego pós-Saão bento

floribundus disse...

importação de bens alimentares 80% porque a agricultura continua a ser "arte de empobrecer alegremente" (Mariano de Carvalho)

as ruas estão cheias de malteses daqueles que por miséria assaltavam durante a II GM
eram chamados "malteses de pau e manta"

o pec não contempla crescimento duma economia necessitada de estruturação.

www.angeloochoa.net disse...

Cito-te, amigo, não sem uns maus amargos de boca:
(...) O amor fraterno e o altruísmo em altas funções de Estado, porém, não têm lugar em Portugal. Só o saque, a trapaça e a fraude.(...)