quinta-feira, março 25, 2010

VOLÚVEL PSD VOLÁTIL

Para além do errático e errado passo para a liderança fraca, Manuela Besteira Leite supostamente disse sempre a verdade no plano da economia, das contas públicas e da ambiência acremente pútrida sob o consulado ultraclientelar de José Sócrates. Cometeu erros. Teve fraquezas. Produziu gaffes. Esteve francamente mal, transigindo peregrinamente com candidatos a deputados justiciariamente chamuscados, um deles com fragrância a detrito. Fracturou com aquela espécie limpeza de balneário ao produzir exclusões anti-federadoras nas listas às legislativas. Agora, com a abstenção do PSD relativamente a esta Besta do Apocalipse, o PEC do Governo, teve o seu triste episódio de despedida. O obsceno PEC passa. Um estilo inócuo, como o de Aguiar-Branco, e outro indeciso, como o de Rangel, não colam na Hora. Tal incapacidade de hostilizar um Governo não porque seja Governo mas porque é francamente mau vai custar ao País a própria sorte. Não teremos qualquer estabilidade com a volatilidade social cavada por este PEC daninho. Nunca pensei escrever isto, mas é bom que Pedro Passos Coelho, uma vez líder, cumpra com o que vem evidenciando e poderá não passar de coreografia e fingimento: reescrever este PEC para que doa a quem deve doer em vez de paralisar ainda mais o mortiço crescimento português. Faço minhas as sugestões de leitura do Francisco Almeida Leite: O PSD é Fitch, de Manuel Castelo-Branco, O PSD suicida-se, de Gabriel Silva e O PSD a votos (23), de Pedro Correia.

2 comentários:

Floribundus disse...

no meu tempo do liceu Mousinho da Silveira em Portalegre

«Porra! dizia a velha marquesa
batendo com as tetas sobre a mesa.
Mas lembrando-se
da esmerada educação que recebera na Suiça
disse:-Porra não! Chiça!»

Diogo disse...

Manuela e Sócrates. Duas figuras que se tivessem ficado soterrados na enxurrada da Madeira, o país não teria nada a perder.