sábado, março 20, 2010

LELLO E O HEMICICLO SPA

A sensação terrível de invasão de privacidade não se aplica aos parlamentares, quando no Parlamento, onde tudo deve necessariamente ser transparente. Quem não deve, não teme. Basta que José Lello pare de jogar no seu PC Parlamentar esse jogo, rei dos jogos no Parlamento, o FarmVille, só ali pronográfico. Chega de Facebook, no Parlamento! Grande estômago acumulador de tachos e privilégios e grande detractor de Manuel Alegre por razões opostas, só ele para se insurgir contra a bagatela da uma indiscrição foto-jornalística no Hemiciclo. Nunca o veríamos com aquela jugular inchada por assuntos de maior: a nossa irremediável pobreza, os nossos constrangimentos pessoais e profissionais agravados com o PECado, as distorções, opressões e injustiças perpetradas pelo Regime das Cunhas e dos Privilégios Especiais. Má rês, Lello! Politiqueiro e superficial como poucos. Toda a gente sabe disto. Certos deputados socialistas da Assembleia da República tresandam a privilégio aristocrático e à altivez do estatuto não de servidores da Nação, mas de servidos da Nação. Que se fodam! Se estão fartos de serem alvo das objectivas indiscretas dos repórteres fotográficos, nós estamos fartos de instalados, insensíveis e paus-mandados no SPArlamento.

Sem comentários: