quinta-feira, setembro 30, 2010

ALMEIDA À SOLTA

«O povo tem que sofrer as crises como o Governo as sofre», esta pérola, lúcida como uma bebedeira de Verão, quentinha como as castanhas de Novembro, pertence a Almeida Santos, para quem o Governo-PS, coitado, também sofre as crises como nós. Pois sofre. Sofre politicamente por ser devastador e incompetente ao fazer o mais fácil corajosamente, como se a chantagem não compensasse. Sofreria eleitoralmente por ser mentiroso e sem credibilidade, mas não se perspectivam eleições nem temos povo para desacatos e insurgências. Sofre por ser presidido por um atoleimado narcisista, intrusivo nas instituições, coleccionador de suspeitas, e, no entanto, sempre em pé, acima de qualquer um que furte cebolas no hipermercado. Deve ser por isso que agora tal Governo se acha no direito e até no dever de fazer-nos sofrer carnal, psíquica, moralmente, aniquilando o que falta da economia e do ânimo colectivo. Este Almeida e o seu País-PS, PS-Paraíso de e para a Clientela-PS, multidão intocada de apadrinhados, beneficiários de benesses e filhos dilectos, gente incapaz de sofrer, só capaz de gastar, — ora tal Almeida é um caso admirável de internamento falhado.

Sem comentários: