sábado, setembro 25, 2010

O ANTIDISCURSO

A ONU tem visto de tudo. A nobreza ideal originária degradou-se. De tempos a tempos, alberga abomináveis palhaços, criminosos que vão sujar aquele universal púlpito com jorros de sangue alheio e a lama de uma abominável irresponsabilidade. Ahmedinejad em tiradas demenciais. Chávez em momices supremas. Depois há anões deslumbrados consigo mesmos que, após longamente enganarem e oprimirem os próprios próprios povos ou por malícia ou por incompetência ou por puro desejo de Poder, dão-se ainda ao espectáculo de enganar o mundo inteiro com telepontos melífluos, poses seráficas e lindezas conceptuais. Discursar como Ghandi. Ser como Estaline. Balde de merda com eles e seria pouco. Por exemplo, o primado do direito, em Portugal, tem sido recentemente o poder político violentar e perseguir tudo o que é independente na denúncia do compadrio geral danoso da política e dos políticos. E tem sido intrusão na Justiça num crescendo de promíscuo abuso sobre os media. Lindo exemplo! Viram o "discurso"? Já podem vomitar.

1 comentário:

floribundus disse...

já não tenho paciência para ouvir ditadores.
o texto está 'porreiro'.
o rectângulo está em estado comatoso devido ao pior dos fascismos.