domingo, setembro 12, 2010

A MÃO FELPUDA DA BESTA

O momento que atravessamos mostra claramente que os agentes da economia e da política só podem obedecer à grande Besta do Apocalipse cuja mão felpuda não perdoa. Ao nível do Poder, vive-se em negação permanente, evitando a desagradabilidade dos factos e das verdades da economia: o défice público; a dívida pública. O ano 2010/2011 ou será mais do mesmo, da mesma morrinha e da mesma covardia política que não abrem brechas, apesar do absoluto apodrecimento ambiental no qual são corresponsáveis, irmãos gémeos e equivalentes, Sócrates e Cavaco, mão que lava a outra mão, ou então, perante o empobrecimento que assola famílias, os mais fracos, ante o desemprego e a intolerabilidade da miséria escondida que a muitos exaspera, qualquer coisa, na rua ou da Europa, emergirá para que a verdade política e verdade económica sejam repostas. O rastilho poderá ser a ignomínia das SCUT. De Passos, um Sócrates pior que Sócrates por falta de energia, rasgo, desejo de rupturas urgentes com o ambiente político pustulento, já percebemos que não virá nada de bom e nada de mau. 

Sem comentários: