terça-feira, dezembro 28, 2010

IRRESPIRABILIDADE DEMOCRÁTICA

Lamento imenso, mas a tragédia portuguesa tem uma causa e uma raiz que não se diluem facilmente nas nossas responsabilidades enquanto Povo. Não. Sócrates é o problema grave de Portugal. A sua determinação um sinal maligno. Vemos na História dos homens personagens determinados para mal de todos. Na verdade, a humanidade sofreu imenso para nada por causa da determinação de perfeitos filhos da puta. Por exemplo, o marfinês Laurent Gbagbo, mesmo perdendo as últimas eleições, está determinado a permanecer no cargo que ocupava. Dispensávamos perfeitamente esse tipo de determinação. Mesmo execrado, mesmo ostracizado pela Comunidade Internacional e as mãos repletas de sangue mais ou menos inocente [quem vive da bala, morrerá pela bala], quer continuar porque é determinado e resiliente. Hitler foi determinado até ao fim trágico que se conhece para o seu Povo e milhões de seres humanos arrolados na morte e na desgraça. Sócrates, cujo carácter psicótico não deixa dúvidas a ninguém limpo de preconceitos ou clubite política, é o problema: não federa; não gera confiança; mero habilidoso em sucessivas patranhas. Evacuá-lo a tempo e horas permitir-nos-ia respirar novamente. Seria preciso aliar a determinação à benignidade e ao bom carácter. Sócrates é absolutamente maligno e incapaz. Não gosta de gente, a não ser dos idiotas a quem paga principescamente para dizerem o que exige ouvir porque são assessores de estética, oportunistas da palavra melíflua. Não gosta de humor, castra e estrangula quaisquer vozes satíricas que lhe embaciem o semblante estelar. Não suporta críticas, não suporta o pluralismo, cioso de si e do seu Poder. Há anos que está a mais. Hoje vê-se para quê e com que danos irreparáveis. Ou ele, ou nós. 

1 comentário:

floribnundus disse...

tem no mínimo 1,5 milhões de votos à sua espera
'o nº de parvos é infinito'