quinta-feira, dezembro 16, 2010

ULTRAJE INTERMITENTE

Virgens de última hora vêm agora rasgar as vestes apenas porque o El País divulgou telegramas que confirmam que o Governo português dera "luz verde" à passagem de prisioneiros que saíam da base de Guantánamo? O Governo mente descaradamente, dizem. What else is new?! Aprendam a viver com isso e rasguem mais vezes mais vestes com coisas realmente graves e dignas de ultraje num Povo ultrajado. Elas não faltam.

3 comentários:

Anónimo disse...

O cavalheiro australiano que tem nobremente divulgado a conta-gotas a correspondência diplomática dos EUA desde 1965 para cá, é um personagem acinzentado e estéril. Deve ter curriculum (afinal já é crescidito...) mas este deve ser de uma banalidade amargurante e romba. A menos que se venha a descobrir que o seu passado é o de um herói (verdadeiro, já agora...) dos 'direitos humanos' e um incontestado jornalista de incontestada qualidade, o senhor em questão só 'existe' por causa da Net, de um inconsciente cabo de 23 anos e da imperdoável falta de cuidado e lorpa confiança que os 'américas' depositam nas máquinas e nos computadores (o optimismo industrial e tecnológico do Novo-Mundo Anglo-Saxónico). Assange gerou, todavia, uma agitação estupidazinha e infantil "por esse mundo fora". O problema não é a revelação dos segredos, mas a revelação da vulnerabilidade dos sistemas. Aí, foi útil.
Por cá, a esquerda lunática e ociosa vibrou, indignada - e exige explicações. Mas Portugal é pequeno e está infestado de nano-intelectos. De sócrates, de Cavaco, de Amado, do BCP-Iran-Gate, enfim da nossa pobre rotina chinelenta e doméstica, só apareceram 'revelações' já conhecidas, ou bovinamente suspeitadas, e que os meninos da Crinabel dominam com mais mestria do que os pivots da RTP: novidades zero. Mas Louçã, Alegre, Kim-Il-Bernardino e o ambíguo Ana-Gomes romperam em gritaria, clamando por tribunais revolucionários e populares. As cândidas da PGR avaliam gravemente a hipóteses de 'investigar': Pinto Monteiro mastiga desculpas cobardes e frases imperceptíveis, Morgado quer mais papel para fotocópias; e Almeida - de semblante barrado e envergando roupa imprópria de um magistrado - fala em inquéritos. Ana Gomes - de queixo picado por uma vaga barba - está no seu meio natural: entraga-se a delírios. Pobres pulgas irrelevantes. No dia-a-dia luso, salpicado de misérias e mediocridades, todo este Chari-Vari não mudou um átomo; e teve um impacto paupérrimo quando comparado com a hora das gajas da Casa-dos-Segredos tomarem banho e secarem o cabelo. Um não-assunto.

Ass.: Besta Imunda

floribundus disse...

a miséria intelectual e ética
desta escumalha dos xuxas
conduziu o rectângulo a miséria

Daniel Santos disse...

somos o único país no mundo que desmente estes telegramas. Todos os outros atingidos acabam por reconhecer ou metem a viola no saco, Portugal não.