quinta-feira, dezembro 30, 2010

ROTUNDO FIASCO? ROTUNDO VIDENTE!

Com tanta lucidez por centímetro cúbico, não sei por que MST se arvora em vidente e, pior, em fatalista do Sistema, sem poder antecipar o grau de penetração ou subscrição do candidato em muitos e muitos cidadãos e maximizando o miserável efeito dos tristes debates, ao escrever isto: «Fernando Nobre é das primeiras experiências mais a sério de concorrência entre um candidato civil e os candidatos profissionais — e o primeiro rotundo fiasco da experiência. Mal rodeado, mal aconselhado, Nobre provou que um homem bom não faz um bom candidato e um homem sério não faz um sério candidato. Uma coisa é vir de fora da política, coisa que o "povo" tanto reclama; outra coisa é a total impreparação política, coisa que nem o "povo" aguenta. Afinal de contas, só Cavaco Silva é que se atreve a insinuar que o cargo de Presidente da República não é um cargo político. Mas ele mostrou, no debate/massacre com Nobre que, pelo menos e como lhe compete, conhece os poderes do Presidente e como funciona o sistema constitucional.» MST

6 comentários:

Zé Povinho disse...

O sistema político nacional está de tal modo armadilhado que só permite realmente candidaturas do sistema. Não é preciso ser nenhuma sumidade para o perceber, mas alguns são pagos para debitar "descobertas" destas.
Abraço do Zé

Tá na laethanta saoire thart-Cruáil an tsaoil disse...

Não é fiasco, tal como o Defensor também não o é, o facto de nestas eleições terem existido alternativas ao cinzentismo partidário é por si só
a antítese do fiasco...

Podiam ter sido melhores os candidatos alternativos...
Podiam e os restantes também

Contra.facção disse...

Se é o MST a dizer isto, é porque está enganado. O homem não estuda o dossiers e depois confunde ROTUNDO com ROTUNDA... É tudo a andar à roda, pelo que dizem.

floribundus disse...

só conheço o «nobre povo», nação outrora valente, cada mais mais mortal

Eduardo Miguel Pereira disse...

Aquilo que o MST diz depois de almoço não pode ser levado a sério.
Quanto ao Dr. Fernando Nobre, sempre manifestei a minha satisfação por surgir um candidato de fora dos aparelhos partidários.
E continuo a congratular-me com isso, porque entendo que é uma demonstração de maturidade democrática, coisa rara cá pelo burgo.
Não posso é deixar de manifestar a minha tristeza pela sua "performance" nos debates, com particular relevo para a indisfarçavel raiva com que se atirou a Francisco Lopes. Aliás, mais que se atirar, qual cão raivoso, ao candidato em si, o que ficou bem patente foi que ele se estava a atirar de forma tresloucada ao PCP.
Foi triste assistir a tamanha demonstração de tique "fascistoide" e isso eu não lhe perdoo !
Chego a pôr em causa se ele está assim tão desapoiado em termos partidários. Parece-me mais que afinal há "Portas" que lhe podem vir a ser abertas.
E mais não digo.

Pata Negra disse...

Qualquer dia, para dar o golpe final na democracia, só falta o MST - que julgo serem as iniciais de uma marca de papel higiénico - ser candidato a presidente da república! Há falta de carolo, prefiro um cavaco!
(para quem não sabe, carolo é o miolo da espiga de milho e quem é do campo sabe para o que servia)