quinta-feira, dezembro 23, 2010

KEEP DREAMING, EDU!

Gosto, sempre gostei, de Eduardo Catroga. Simpatias, vá! Mas registo a candura deste desabafo: «Os portugueses, nas últimas eleições, não perceberam a situação em que o país se encontrava e votaram em quem não falou a verdade [...] terá de haver um refrescamento do executivo [...] e a altura preferível é o Verão, antes da apresentação das contas para 2012.» Candura porquê? Porque, em se tratando do actual Executivo e do seu líder, a vontade indefinida de exercer o múnus de avacalhar isto está-lhe no sangue. O País pode bem resvalar, ser crucificado externamente, que este PM meteu na testa de aço que está para durar providencialmente, que a foto de família portuguesa precisa da sua figura de atleta do Jet Lag como de outros símbolos de raça arraçada de besta e humanidade repleta de fraquezas. Por isso, como gato a bofe, agarrou-se à Líbia, dependurou-se no Brasil, segura a China por um colhão, tem um olho de engate seja com que pária com dinheiro for. Tem-nos no sítio, professa o vulgo, e por isso certos beirões revêem-se nele. Certos transmontanos revêem-se nele. Certas mulheres de baixo QI revêem-se nele. Se não durar, estão comprometidos o modo de vida e as causas vitais de quantos o combatem debalde há tanto tempo. Se ele durar, eles vivem. Se ele perecer, perderão a razão de lutar, declaram irónicos os que estão muito bem assim. Não é ele o eterno emenagogo?! É.

2 comentários:

Anónimo disse...

Caro Joshua, as suas últimas linhas definem bem os comportamentos e anseios 'da malta'; e Catroga não está a ser cândido, não. Não, porque não quer abrir a guela (como devia): os portugueses eleitores que reelegeram pinto-de-sousa não iam inocentes e puros como serafins; iam, de facto, defender o seu tubo digestivo - a curtíssimo prazo, e sem qualquer espécie de problema em relação ao futuro próximo e longínquo. Junte-se a isto ignorância, desconhecimento do funcionamento da justiça, da ética, dos deveres, da honestidade. E junte-se também um desprezo nacional pela autenticidade. Notícias não desmentidas de cursos 'esquisitos' e de títulos profissionais usurpados, suspeitas (graves!!!) de controlo da comunicação social por parte do governo, suspeitas (gravíssimas) de corrupção no "freeport". E finalmente sócrates, ele-mesmo, que não engana senão pobres-de-espírito e velhinhas que julgam que a gonorreia se pega pelo telefone: verdadeiro como uma nota de seis euros, sincero como uma puta chinesa, o povo já lhe tirou a fotografia há muito; mas gosta de ser enganado, assim como um voluntário-do-chifre. O grande problema está em que trinta e tal por cento de eleitores esbrutearam totalmente a vida aos outros sessenta e tal por cento. Comamos merda, pois.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Caro Joshua,
Subscrevo o seu post, apenas com uma excepção: a referência aos transmontanos que suportam Sócrates é injusta e factualmente inadequada. Se for analisar os últimos resultados eleitorais têm sido os alentejanos, os algarvios e, sobretudo, muitos alfacinhas pretensamente modernaços, mas apatetados e deslumbrados com a retórica de um mentiroso, que o têm mantido no poder.
Se dependesse dos transmontanos, Sócrates andaria agora a vender Magalhães ou carros eléctricos pelo mundo fora (se a JP Sá Couto ou a Nissan o contratassem, bem entendido, pois, nas últimas legislativas, levou uma "cabazada" nos distritos de Vila Real e de Bragança.
Abraço e Feliz Natal.