quinta-feira, dezembro 30, 2010

O INFINITAMENTE IMPOSSÍVEL

Uma vida inteira a esconder e a disfarçar podridão, comprometimento, malícia, corrupção, venalidade, é absolutamente incompatível com gestos abnegados, de liminar decência ou absoluta transparência. Ele nunca beberia este cálice: «Se José Sócrates quisesse acabar com a novela da sucata, e não tivesse nada a esconder, poderia ele próprio divulgar as suas conversas com Armando Vara. Ganhava credibilidade e respeito e reforçava a tese de que é vítima de cabalas político-judiciais.» Carlos Ferreira Madeira

Sem comentários: