sexta-feira, dezembro 31, 2010

RAPOSO E O CRONOS CONOTADO

ABT - 6
Fica-se exultante quando, desconfiadamente, se vai ler o voluntarioso Henrique Raposo e, em vez do fervor liberalóide fuzilador e taliban, com o que se depara cá o blogger PALAVROSSAVRVS é com comentário literário sob a forma tentada. Sobre Rentes de Carvalho. Escritor que o Henrique 'descobriu' e deseja dar-nos a encontrar, encantado que está. Muito bem. Chama-lhe 'profeta'. Rentes, um homem dos mil ofícios também da minha Vila Nova de Gaia, antes da longa aventura holandesa, vale bem a pena, é verdade. Que tal uma referência à página pessoal e outra ao blogue do José Rentes de Carvalho? Não lhe ocorreu. Porém, lida a resenha do Raposo, com um pequeno sorriso pelo pequeno prazer possível, na verdade o que se salva, e a nado como Os Lusíadas, é a seguinte feliz citação raposina, onde a compaixão pela suposta infelicidade sexual dos portugueses do interior, em Rentes e em Raposo, me comove até às lágrimas: «... na televisão (holandesa) um longo programa sobre orgasmos, técnicas de coito, aberrações, confissões (...) os presentes a discutir com a desinibição que se tornou costumeira (...) recordo como quando me encontro na aldeia se me tornam sensíveis os profundos tabus que lá continuam a envolver a sexualidade. É como se ela não existisse, ao mesmo tempo que as pessoas recebem através da televisão um bombardeio de erotismo. E pergunto-me como deve ser melancólica e frustrante a vivência sexual da minha gente, que por um lado vê a liberdade, mas por outro continua presa a formidáveis cadeias.» in Tempo Contado via Henrique Raposo

4 comentários:

floribundus disse...

Amigo
onde descobre gajas tão boas?

amanhã pode ver circuncisão

Anónimo disse...

Efectivamente a gaja é muito boa. É mesmo doente-de-boa. Nesta província, que é Lisboa, até as 'imigrantes' e as 'turistas' (de variadíssimas proveniências) - mal desembarcadas dos Boeings e dos Airbuses - ganham subitamente pudores e são atacadas de modéstias perturbadoras, que as levam a puxar constantemente as saias para os joelhos (esse tesouro anatómico feminino). Não adianta se de onde vieram - seja Sergipe, Ancara, o Bósforo, o Volga, Karachi ou Buenos-Aires - estavam cheias de erotismo e lascívia selvagem: Lisboa seca tudo; e não pode ser culpada a já enfraquecida e muito esbandalhada Igreja Católica. Trata-se mesmo do ar, da água ou de algum misterioso miasma. Tal como o patriotismo, a honestidade e a competência: aqui não vingam.
Por cá, as divas erótico-sexuais estão todas caídas entre Kátia Aveiro e Rita Pereira, as preferências oscilantes de cabos-de-infantaria e pseudo-gestores bensocas de cabelo azeitado. Deus nos ilumine.
Bom ano de 2011 para os meus amigos.

Ass.: Besta Imunda

atascadotijoao disse...

Boas saídas e melhores entradas .
Feliz 2011 .
Aquele abraço

joshua disse...

Abraços a todos! Um 2010 fantástico.