terça-feira, maio 06, 2008

BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME, IMPERFEIÇÃO DE MUNDOS


Querida Isabela, deixa os preguiçosos em paz.
Não tens desculpa para lançares-te-Morena para cima dos preguiçosos.
Aliás, o facto de te atirares contra os preguiçosos é um rançoso ressentimento
por não poderes dar-te à vocação de todo o ser humano que é ser preguiçoso
e de uma felicidade preguiçosa completa.
lkj
A criatividade e a luz só nascem depois de se consumar a nossa vocação à felicidade
pela Preguiça, Preguiça que aliás parecia ser a próxima fase,
já que eu pensei que estaríamos a construir uma Sociedade do Lazer,
da Natureza e da Fruição dos Bens Culturais
que uma vida inteira não permite que usufruámos.
lkj
Se queres que te diga, se pudesse beneficiar do Banco Alimentar,
beneficiaria, e não estou muito longe de-precisar-de-precisar sinceramente.
Porque há preguiçosos compulsivos, como eu,
preguiçosos felizes, como eu, atirados para a preguiça
por variáveis modernas e mitos sociais modernos,
remetidos à força a uma triste preguiça tantas vezes alegre e no fim feliz,
condenados à preguiça sem apelo nem agravo, e cada vez mais habituados a ela,
seu meio natural de felicidade e realização,
transformados em preguiçosos, como eu,
que, com tal ajuda alimentar gratuita,
podia ser que finalmente organizasse aquele capitalzinho esforçado
para poder ser preguiçoso o resto da minha vida em paz
e só com os juros.
lkjh
Se há coisa que não és é hipócrita e muito menos injusta e tendenciosa.
O Banco Alimentar Contra a Fome precisa de ti à Porta do teu Liedl
a entregar sacos de plástico, a sorrir e a ser ignorada
dentro da magnífica liberdade para a Fome Sincera ser ignorada e,
com ela, a Fome Insincera,
bem como ignorados os seus Anjos da Guarda dos sacos-plástico azuis,
mas meteres-te com os preguiçosos, vingares-te neles,
isso não te perdoo.

Sem comentários: