quarta-feira, maio 14, 2008

EM DEFESA DO PÚBLICO


É de louvar que um jornalista não tema evidenciar a verdade,
nem expor os factos doa a quem doer e tendo eles o interesse que têm para o País.
lkj
isso é que é de 3.ª categoria, não a denúncia da verdade
em cumprimento do dever de informar.
Impactem eles, os factos, como impactarem, as coisas devem ser assim entre nós
que aspiramos ao primeiro mundo no número de auto-estradas e não no grau de transparência.
Porque tudo tem a ver com tudo e eu, sinceramente, sinto-me afrontado com isto,
e comigo milhares, ao ver baldados todos os meus sacrifícios e privações,
ao ver que o meu desemprego, a minha penúria, o desperdício de mim,
tem o reverso nos desperdícios sumptuários do Estado, na atitude laxa,
dúbia e dúplice dos governantes pouco escrupulosos em dar os devidos exemplos,
e até oportunistas quer na subida obscena do preço dos combustíveis
quer no abuso da sua posição de responsabilidade.
lkj
Quem se queixar do Público deveria considerar viver no Zimbabue,
onde o líder também se faz incontestado e é aquela merda que se sabe.

1 comentário:

antonio ganhão disse...

Mas onde está o espanto? O homem não tem feito outra coisa que não seja lançar-nos fumaça para os olhos... ou só agora é que descobriram?