terça-feira, maio 27, 2008

MÁRIO SOARES NO PAPAMÓVEL



Soares sentiu o pulso à sociedade portuguesa já em justificadíssima pré-rebelião
dada a lógica açambarcadora e socialmente irresponsável dos muito ricos,
dada a perda de valores, de ética, de sentido do colectivo, de consciência de corpo nacional,
entre as elites postas a jeito para sugar privilegiadamente o Estado
ou em condições de seviciar de miséria remuneratória e discricionária uma massa
infinita de portugueses já nos seus limites em matéria de pobreza e desigualdade.
Todos temos visto a insensível cavalgadela socratina
no favorecimento estratégico dos mega-empórios económicos nacionais,
na selecção criteriosíssima de quem o QREN apoiará ou não,
na longa lista de empresas colapsadas sob um conjunto de factores adverso de mais,
no quanto obstinadamente e inflexivelmente tem sido feito
em detrimento da sobrevivência e dignificação de vida da maioria.
lkj
É certo que é um Soares Papal que veste a camisola clubística de um PS
que já não é nada, que, com Sócrates, aos costumes disse nada,
que nada tem a ver com a própria história,
ao lembrar que por isso mesmo, por causa de essa insensibilidade reiterada e renitente,
o nosso voto de protesto fará crescer o PCP e o BE.
lkj
Naturalmente, Soares não compreende que apelar para medidas urgentes do Governo
para sossegar as classes mais insatisfeitas e corrigir-lhes a perda e a assimetria extremada
é o mesmo que pedir a um violador inveterado uma mudança de sexo.
Como não é natural, não acontecerá:
lkj
«Já uma vez, nestes últimos anos, escrevi e agora repito: "Quem vos avisa vosso amigo é." Há que avançar rapidamente - e com acerto - na resolução destas questões essenciais, que tanto afectam a maioria dos portugueses. Se o não fizerem, o PCP e o Bloco de Esquerda - e os seus lideres - continuarão a subir nas sondagens. Inevitavelmente. É o voto de protesto, que tanta falta fará ao PS em tempo de eleições. E mais sintomático ainda: no debate televisivo da SIC que fizeram os quatro candidatos a Presidentes do PPD/PSD, pelo menos dois deles só falaram nas desigualdades sociais e na pobreza, que importa combater eficazmente. Poderá isso relevar - dirão alguns - da pura demagogia. Mas é significativo. Do que sentem os portugueses. Não lhes parece?...»
lkj
Comentário de Ouro
kjh
27.05.2008 - 11h15 - Anónimo, Porto, Portugal
«Conversa de treta. Mário Soares apoia a fundo o PS em versão moderna, que serve como preservativo contra o vírus do descontentamento social. Quase nenhuma das reformas que Sócrates/TeixeiradSantos estão a levar a cabo passaria com o PS na oposição. Dada a sua avançada idade, Mário Soares só acorda quando a tempestade abana bem o barco. Não haja ilusões: os pobres não fazem greve à sopa e a classe média está tão bem servida com o PS/BE/PCP como, por outra forma, com o PSD/CDS. O PS tem-se manifestado como o partido da mentira, da deslealdade democrática, da chico-esperteza. No tempo em que o Dr. Mário Soares podia desvalorizar a moeda, explicava aos portugueses que isso não teria nenhuma influência no poder de compra. Devem-se lembrar. Quanto aos pontos negros que refere, "saúde, educação, desemprego, previdência social", é de lamentar a empatia de MS para com quem sofre, porque esses pontos são o cerne da realização socialista. Ele age como amortecedor com pretensa autoridade moral. Tal como Almeida Santos e outros "elefantes" do PS.»

1 comentário:

antonio ganhão disse...

Soares pode estar velho, mas ainda consegue ver que estamos onde já esteve a ditadura pré-25 de Abril.