sábado, agosto 30, 2008

ANGOLA ENGOLE PORTUGAL


não pode ter a mesma correspondência noutros casos, uma vez que pressupõs
uma acção militar tardia, agressiva, abusiva, injustificada,
diversa da presença constante ao longo de muitos séculos,
conforme foi o caso português em Angola e nas demais antigas possessões
ultramarinas portuguesas.
lkj
Passa-se, no entanto, que a Líbia
obteve compensações da Itália que parecem bastante promissoras
e integrais, vantajosas para ambas as partes. O caso angolano enquanto ex-colónia
com eventuais pretensões similares às da Líbia é bem mais simples:
está em condições de nem precisar de negociar compensações seja pelo que for
em longos quinhentos anos de diálogo colonial: compra-se Portugal,
o ex-colonizador, e não há mais conversa, palavra do governo angolano!
Admitamos que a História pode ter destas ironias!

1 comentário:

João Roque disse...

Já esteve mais longe...