quinta-feira, agosto 28, 2008

UMA RESPOSTA-RESPOSTA


Não sei com que cracks e plombs e poings ao Orçamento
vai Pinto Monteiro operacionalizar efectivamente o seu plano,
mas pelo menos existe uma reacção digna de esse nome:
de algumas cidades.
lkj
Mas por que é que o MAI não avançou primeiro com uma destas ou semelhante?!
Por que não vimos o Dr. Vitalino Canas ontem
a ser porta-voz de uma coisa esperançosa e animadora para a sociedade
como esta?! Malandros, não querem o protagonismo todo para eles!
Por isso partilham-no, dão magnanimemente oportunidade a outros protagonismos.
Se queríamos uma resposta, temos uma resposta.
Mas a minha dúvida mantém-se: o hipergarantismo dos arguidos
que tem colidido e de que maneira com os direitos das vítimas,
sendo ele mais que humanístico, sociológico ou psicologizante,
um passe economicista de salvaguarda despesística,
como será possível operacionalizar este plano de Pinto Monteiro?!
Sim, quanto custará?!
kjh
que se segue à proposta de Pinto Monteiro.
O que lhes ata os pés e as mãos são as restrições orçamentais
e assim empurram com a barriga o problema.

Sem comentários: