sábado, agosto 30, 2008

A VANESSA TRIATLETA DENTRO DE MIM


Não estive de corpo e alma em Perosinho, Gaia,
para homenagear a grande atleta Vanessa e o grande papel do seu pai,
o também grande Venceslau, importantíssimo mentor
de uma jovem calibrada só para a excelência e a auto-exigência.
Era perto. Vivo perto, a duas ou três freguesias na grande Gaia. Podia ter ido.
Estive de corpo e alma lá só pela RTP-N, que me fez o favorzinho de um directo.
lkj
A Vanessa dentro de mim exige-me milhões de postas acesas
no meu PALAVROSSAVRSV REX, e que, apaixonado, me agarre a esta réstia de paixão na vida.
Por isso, senti, logo após o curto directo,
(com a natural entrevista babada,
com o povo grato e orgulhoso que enchia o auditório,
com a presença cúmplice e risonha do popular Menezes
e de um verador benfiquista do PP, Sílvio Cervan),
que eu haveria de estar aqui a escrever umas palavras mais,
dentre tantas que tantos vão escrevendo, sobre o espírito da Vanessa.
lkj
O espírito de Vanessa é de alta exigência, a exigência consigo mesma
que podemos e devemos ter também connosco mesmos na vida.
E ontem reparei que, para todos os efeitos, eu tinha uma Vanessa dentro de mim.
Não ganho medalhas nem sequer tenho qualquer remuneração
ou compensação ao fim do mês para tanto empenho e trabalho nisto
de que tanto gosto e por que tanto me entrego apaixonado,
mas é indiscutivemente a Vanessa sacrificada e superadora de adversidades
e de adversários, vencedora, quem eu tenho metida dentro de mim.
lkj
O meu coração, as minhas energias e as minhas esperanças,
enquanto homem português entre tantos outros homens portugueses semelhantes
com quase quarenta anos sobrequalificados, bastante exóticos porque bastante cultos,
tem uma Vanessa dentro a empalá-los. Nós não desejaríamos ser a Vanessa.
A Vanessa é que está em nós numa faceta qualquer extraordinária autossuperadora,
invisível ou desconsiderada por muitos, pelo próprio País, mas que está lá.
E a Vanessa dentro de mim faz-me escrever de graça, porém apaixonado,
motivadíssimo, como se ganhasse milhões em cada texto. O meu paradoxo.
O meu pódio. O topo do meu pódio dia após dia!

1 comentário:

Joaninha disse...

Rex,

Quase 40??
pensei que eram menos ;)

beijos