domingo, agosto 24, 2008

PARTOS NA MINHA RUA A8


Acho admiráveis estas maternidades automóveis
que ajudam a parir na A8, na A1, no IP4.
Às vezes acontece e agora ao acontecer soa-nos a regra geral.
Correndo tudo bem, tudo fica bem.
lkj
Preparem-se é para explicar um dia ao bebé crescido que ter ele nascido numa ambulância
não foi nada de insólito que se conta a vida toda com prazer e emoção,
mas algo de vulgar em Portugal.
«Onde nasceste?» Claro que o outro miúdo da creche
dirá que nasceu na A8, numa ambulância,
mas o que pergunta, de olho arregalado dirá, «Eu também!»
Com sorte terão nascido na mesma semana e na mesma estrada.

2 comentários:

antonio ganhão disse...

O mias difícil será explicar-lhe como é que tendo nascido na Europa lhes tocou o Burundi...

Anónimo disse...

Será raro haver um "eu também". Há centenas de bebés a nascer por dia. Só que só vêm ao de cima os casos mais insólitos.

Ao menos não nasceu no meio de uma guerra, ou numa tenda algures no Sahara, ou em casa como muitos portugueses com mais de 50 anos. Nascer um bebé, não é algo recente, é muito anterior à "civilização". A rapariga que deu à luz é que teve a rara sorte de ter um parto rápido :). São coisas que sempre aconteceram e que vão continuar a acontecer.