quarta-feira, agosto 20, 2008

SEMÂNTICA DO ECONOMÊS


A amizade é uma coisa muito bonita, mas vez por outra
é pródiga em facadas deliberadamente inocentes
como notoriamente parece ser esta, num momento em que a semântica do poder
gere por cá com pinças o vocabulário mais correcto
para não alarmar a confiança dos investidores
e a paz de espírito do cidadão.
Lenta e paralizadora, assim actua a cicuta quando ingerida.
lkj
Obviamente, Chávez falava para consumo interno, o homem é um pregador!,
mas uma vez que a nossa economia está cada vez mais umbilicada
aos negócios em espécie com a Venezuela, que é um dos poucos países
que procede a trocas em espécie, vacas por máquinas, petróleo por vacas e alfaias,
já com outros países da região, e por aí adiante, está bem de ver-se
que em troca de sorrisos e palmadinhas nas costas, no Memorando de Entendimento
(petróleo por conservas, petróleo por Magalhães, petróleo por Martifer),
Sócrates acaba de receber de Chávez indesejáveis inconfidências
que o entalam ainda mais na fama que por cá aufere,
enquanto fiabilíssimo e honestíssimo
governante de um País europeu:
Portugal e a sua economia estagnaram.
Estupidamente, é a Economia!
jkh
«O indicador de clima económico, já disponível para Julho, e o indicador de actividade económica disponível para Junho "agravaram-se significativamente", indica hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).Os números divulgados hoje pelo gabinete de estatística avançam que o indicador de clima económico disponível para Julho registou uma quebra para 0,4 pontos, contra os 0,7 pontos referentes ao mês anterior.
lkj
No que respeita à actividade económica em Junho, esta decresceu para 0,7 pontos, quando em Maio tinha registado 1,4 pontos. De acordo com a síntese económica de conjuntura divulgada hoje pelo INE, relativamente ao segundo trimestre, a procura externa "terá apresentado um contributo menos negativo" para o crescimento económico, devido ao menor ritmo de crescimento das importações face às exportações. Mas em contrapartida, deu-se um abrandamento da procura interna, "em resultado da forte desaceleração do consumo privado".
lkj
No comércio internacional, em termos nominais, o fluxo de importações desceu de 12,3 por cento para 0,9 por cento, enquanto que no lado das exportações, estas tiveram uma diminuição de 4,8 por cento para 3,4 por cento. Quanto à procura interna, a desaceleração do consumo privado, no segundo trimestre, terá ocorrido devido à "deterioração observada quer no consumo corrente, quer no duradouro, mas principalmente no segundo". Já o crescimento homólogo do PIB, durante o mesmo período, foi de 0,9 por cento, o mesmo do trimestre anterior.». [Público]

1 comentário:

Marcos Santos disse...

Amigo Joshua

Essa figura, que usa e abusa do constrangimento aos outros, me arrepia quando por aqui passa.

Não gosto do Chaves, assim como não gosto do Bush. Para mim são Tico e Teco. Duas faces da mesma moeda. Negócios com Chaves, são sempre pagos com uns punhados de desonra.