quarta-feira, agosto 27, 2008

MAI WAY


A realidade tem sido, e tudo indica que continuará a ser!, terrível
para se ser Ministro da Administração Interna sem insónias.
Alguém escreveu que a esquerda vai insistindo em apaziguar
e largar umas frases de apaziguamento da realidade,
enquanto por sua vez a realidade ela-mesma se encarrega
de cuspir nas e trucidar as boas intenções dos políticos
com as suas irrealísticas conciliações, sobretudo estatísticas.
Isto chega ao ponto de pantera-cor-de-roseamente o Dr. Leonel de Carvalho,
responsável pelo Gabinete Coordenador de Segurança e Criminalidade,
atribuir à própria cobertura dos factos pelos Media
É incrível, Melga! Quanta placidez e lamentável bizantinice analítica.
Não será antes por intervenções pré-comatosas e desfasadas dos factos
como as suas que tudo vai piorando e se intensificando?!
lkj
Ora, um homem, no meio de este ciclo infernal que abate elefantes
e abate-Fernando-Gomes-Ministros,
não pode acordar de manhã revestido de qualquer esplendor ulisseano
na chegada a Ítaca. Um homem só pode acordar com as dobras de pano do rosto,
os inchaços naturais do repousar condicional
e condicionadamente. Será porventura o fim,
embora um político tenha muitas vidas.
lkj
E, naturalmente, o PSD que se comporta como o abutre,
ao pairar com o seu silencioso nada sobre esta questão
ou apenas com a simplística proponência da demissão ministerial,
limita-se a cantar e a ajudar Rui Pereira a cantar o My Way, de Sinatra ou Elvis,
porque é uma cantiga adequada a todos as despedidas e fins de festa,
também ao fim de festa com credibilidade
e proporcionais derrotas por atacado do PSD.

1 comentário:

Contacte-nos disse...

Substituaria por Mayday!:)

Abraço