sexta-feira, agosto 22, 2008

PORTAL ESPIRITUAL NA PRAÇA DO COMÉRCIO


Um monumento não é só um monumento: torna-se carne da memória.
Penso em Pessoa, que viajou por dentro e transcorreu-as ao introviajar.
Penso nele, ao olhá-las, às colunas, em fotos datadas ou quando as vi eu mesmo
e as retomo no mnemoquadro impressivo que tenho dentro.
khl
Transcorrê-las, numa ou noutra direcção, foi biografia, sémen aspergido.
Transcorrê-las como quem parte e sai foi engolir em seco,
saudoso adeus magoado e partida derradeira,
falo, quando uma a uma olhadas a solo
e pernas entreabertas da cidade quando olhadas as duas:
fito-as por cada bala ultramarina que varou
e descontinuou um português nascido em Portugal
ou por quem, vindo de longe, sem o ser veio a querer ser Portugal
num corpo hebraico português.

1 comentário:

Tiago R Cardoso disse...

Nunca tinha pensado olhar para o assunto nesse ângulo, mas estivestes bem.