domingo, fevereiro 28, 2010

GINÁSIO A NORTE

1. Amostra do pensamento geral plácido e contemporizador para com quem nos escraviza de enganos, são as conversas espontâneas de Ginásio. Obesos, ventrudos ou musculados, metrossexuais, todos fraternizam e conversam espontaneamente. Estimo que as conversas na Peixaria e na Barbearia não difiram demasiado, entre madames e regateiras. Revelam tudo o que somos. O assunto começa invariavelmente por ser o futebol. De repente, alguém associa o salazarismo ao socratismo apenas porque igualmente sob também este o benfiquismo hegemónico está de regresso, «o Red Bull Air Race foi furtado por Lisboa. O QREN desviado do Norte e demais regiões para Lisboa. Lisboa é um lupanar a pedi-las.» Depois passa-se a outros devaneios mais políticos, menos futebolísticos. Impõem-se logo argumentos do tipo «estão todos a transbordar de desonestidade. Não é só Sócrates. E os outros, aquando da Expo98?» Desculpa-se a desonestidade actual, desculpa-se o primeiro-ministro com um passado transversal de desmandos. Avultam marcas de bestialidade, odores a mediocridade. Duche. Risos. Despedidas. 2. Muitos emigrantes, há muito nos Estados Unidos ou na Europa Rica, onde fizeram fortuna, exprimem o desejo, por piedade, de viajar e gastar dinheiro por cá para nos ajudar na Crise. É isso. Os números da Diáspora portuguesa são tão imensos no Planeta que provavelmente bastaria a cada família estrangeirada visitar Portugal uma só vez para, gastando por cá, nos atenuarem a Crise na mesma lógica com que por aí se fala em visitar a Madeira, turistas solidários, como forma de atenuar a hecatombe por lá verificada. 3. Vivem-se tempos de verdadeira lotaria planetária no sentido catastrófico do conceito. Eventos-limite estão na ordem do dia: de repente, em qualquer ponto do Planeta, com um peteleco Natural, morre-se em sopro e em grande número. Ainda não chegámos a Março e é o que se vê: uma sucessão de tragédias que têm qualquer coisa de mais intenso, paulatino, cadenciado, comparado com fenómenos em anos pretéritos. Entretanto, as TVs generalistas fogem da Economia e da Política nacionais como o Diabo da Cruz: concursos, lixo e alienação a rodos. Há quem tenha medo, procure perseguir a liberdade e a ousadia de expressão. Há quem julgue que a Liberdade é uma aquisição perigosa, de luxo. Por isso têm planos castradores para bloggers. Mas a verdade é que nós, bloggers, casta de atrevidos, se não espancarmos Portugal com verdade e inquietação, vê-lo-emos resvalar na mesma pasmaceira envenenada promovida por políticos ávidos, inescrupulosos, e cartéis económicos. É deles a ideia que consente em prémios milionários aos gestores de PPPs com prejuízos acumulados, enquanto os contribuintes lhes pagam os luxos de nababos estéreis. É assim que nos sugam, nos esbulham indefinidamente, na precariedade, no congelamento, nas penhoras e saques bancários, depois de, há alguns anos, termos caído na armadilha-assédio do crédito torrencial à habitação. É assim que nos devastam, reincidentes no mesmo Fisco Infrene e Selvático imposto ao pobre povo. Quem gritará? Quem resistirá? Onde a unidade que contesta?

1 comentário:

Anónimo disse...

http://www.tvi24.iol.pt/internacional/franca-mau-tempo-tempestade-tvi24/1143344-4073.html