segunda-feira, fevereiro 15, 2010

PEDRO PASSÓCRATES COELHO

Paulo, não há nada a fazer. Não gosto, muito poucos gostam!, de Pedro Passócrates Coelho. Não há deus instrumentalizável nem Alberto João Jardim verboso que reabilitem a figura.

Sem comentários: