segunda-feira, fevereiro 08, 2010

PRIVACIDADE DA DEMÊNCIA

Claro que 'concordo' com o Dr. Marcelo. Ele diz que Sócrates deveria ser liminarmente demitido por imensas razões, mas não deve ser liminarmente demitido já por causa do impacto devastador que isso teria nos mercados e o seu ataque à dívida portuguesa. Portanto, são os mercados internacionais, a sua sensibilidade ao contexto político português, que nos aguentam esse homem (e sua entourage) a quem tenho apodado de Primadonna e para quem tudo aquilo exposto no "Sol" é simplisticamente definido como "conversas privadas". Sim, porque fazer tráfico de influências e quebrar todas as regras da democracia em privado são "conversas privadas" e fica o assunto resolvido. Por seu lado, o Presidente fala em pastosa tranquilidade: nós sabemos que é outra forma de fazer um grotesco pacto com coisas e actores inqualificáveis. Um primeiro-ministro que não nega os factos gravosos que lhe são imputados e continua no poder, que não titubeia quando se lhe esboroa a legitimidade ao não declarar que os elementos publicados pelo "Sol" são falsos merece toda a tranquilidade que lhe possa dar Cavaco. Pois! O PR permanece imóvel. O PS e a sua lista de calados não faz nada. Quão baixo desceremos?

Sem comentários: