quarta-feira, novembro 12, 2008

CONFESSIONÁRIO OVAL


Pode não se gostar da peça, mas há que reconhecer que,
debatendo-se para sobreviver aos resíduos tóxicos da sua história,
ela se vai manifestando convenientemente vulnerável, falível e humana,
fazendo-nos pensar, por oportuno contraste, na divina infalibilidade irredutível
de certos cromos que por cá temos domésticos, provavelmente muito mais perigosos
se mais poder puro e duro ainda lhes fora dado. Ela, a peça!

Sem comentários: